segunda-feira, 24 de setembro de 2012

morreu de bobeira

passa garota
na bossa Ipanema
e agora já foi..
mas "olha", que olha
"que coisa mais linda"
a vida que passa
já foi, já ficou
parada no tempo
que nem tempo é
é luz, é memória
da perspectiva
da vida que passa
versinho a versinho
que o teu pedacinho
virou capital
tua "lua vaidosa,
sestrosa, dengosa"
pranteia o destino
que, como um menino,
discute com tempo
enquanto a garota
leiloa os quadris
da bossa esquecida
nos ventos, na vida
de quem já não samba
de quem já não pé
de quem já não vive
de quem já não é
a mesma criança
dos tempos de fé
que pula faceira
do alto do pé
jabuticabeira
da beira do rio
morreu de bobeira
viveu de vazio

Nenhum comentário: